Ablação por Radiofrequência: novo procedimento para tratar nódulos benignos

Estima-se que 60% da população brasileira desenvolverá em algum momento da vida nódulos da tireoide. Destes, 95% serão benignos e, em alguns casos, a única indicação para o tratamento é a cirurgia convencional, deixando cicatrizes e a possibilidade – em necessidade da retirada total da glândula (tireoidectomia) -, de reposição hormonal para o resto da vida. Mas esse cenário acaba de mudar e traz aos pacientes com nódulo benignos da tireoide uma inovadora alternativa: o procedimento Ablação por Radiofrequência (RFA).

Trata-se de uma eficaz alternativa para tratar e reduzir o tamanho dos nódulos benignos, císticos e não-císticos da tireoide. O procedimento é realizado através da inserção de um eletrodo no centro do nódulo a ser tratado, guiado por ultrassonografia. Esse nódulo é aquecido, fazendo uma termolesão tecidual controlada. Em um período de seis meses após a aplicação, o volume apenas do nódulo é reduzido, preservando as funções hormonais da glândula da tireoide, além de evitar a cicatriz, resultado da cirurgia convencional.

No entanto, é importante destacar que nem todos os nódulos benignos são elegíveis para o procedimento de Ablação por Radiofrequência. A técnica é recomendada para o tratamento de nódulos grandes que incomodam o paciente e causam sintomas compressivos em estruturas importantes, como o esôfago, dificultando a deglutição; a traqueia, resultando na dificuldade de respiração; ou mesmo nódulos em crescimento que incomodam esteticamente o paciente.

Com a Ablação por Radiofrequência também é possível tratar os nódulos autônomos que produzem em excesso os hormônios tireoidianos causando o hipertireoidismo, conhecida como Doença de Plummer. O procedimento no Brasil segue o mesmo protocolo da Coreia do Sul e da Itália, dois dos mais importantes polos de referência do mundo em Ablação por Radiofrequência para o tratamento de nódulos benignos da tireoide.

2 respostas
    • Teca Pereira
      Teca Pereira says:

      Cara Josiane, pedimos a gentileza de entrar em contato no fone (11) 4330-2440 para saber mais sobre a técnica.
      Atenciosamente
      Administração do Site

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *